terça-feira, 27 de novembro de 2012

Lua de Pernambuco - Parte I


Olha eu aqui de novo ...
No dia 13 de dezembro de 2012, Luiz Gonzaga faria 100 anos, por isso são tantas homenagens, cantorias, celebrações e honrarias. Nada mais justo!
Como já descrevi no meu perfil, valorizo bastante as coisas da minha terra e por isso me deu uma vontade danada de homenageá-lo, assim do meu jeito: compartilhando com você as minhas impressões, como simples admiradora que sou. Quero relembrar seu talento e sua obra, sobretudo porque acho que ...


 ele sempre será uma excelente referência e um grande exemplo para pessoas de todos os lugares e de todas as idades.
Bom mesmo seria se ele ainda estivesse aqui entre nós, vivinho da Silva!
Ele nos deixou em 1989, mas em nossos corações, ele continua vivo e pulsante, não é mesmo?

O legado que ele deixou é imenso; rico em sabedoria, ensinamentos e tem a cara do nordeste. Entretanto precisa ser constantemente lembrado, celebrado, divulgado, enaltecido, para que a juventude, que não o conheceu em vida, possa se apropriar de sua obra e também se orgulhar de alguém que foi tão importante para a nossa cultura.
A Universidade Federal Rural de Pernambuco concedeu no último dia 22/11, in memoriam, o título Doutor Honoris Causa a Luiz Gonzaga.
Se você não sabe (ou não lembra) vou lhe ajudar : esse tipo de homenagem é dada por instituições de ensino superior a pessoas de destaque no campo das ciências, artes ou nas relações com a sociedade. Por essas e outras, Pernambuco é todo orgulho ao falar dele, nosso Rei do Baião!

Também não é pra menos!
As canções dele são impregnadas de "pernambucanidade" e carregam o mais autêntico sotaque nordestino. Têm o poder de nos remeter a um cenário sofrido, de terra rachada, casebres de barro, árvores secas, algumas poucas aves a ciscar no quintal, e bois magros, fazendo barulho com seus chocalhos presos ao pescoço, ao seguirem estrada afora, desanimados, à procura d'água e de algum pasto pra comer. Não é difícil imaginar crianças franzinas, descalças e desnudas, que brincam, displicentemente no chão batido, com latas velhas, carrinhos de madeira e bonecas já amarrotados e quebrados pelo uso de várias gerações. Há ainda o som estridente dos carros de boi, que ao cair tarde, transportam homens e mulheres que retornam da lida na roça, com semblantes exaustos por terem enfrentado, desde as primeiras horas da manhã, um sol escaldante, cujas marcas tornam-se visíveis nos lábios e pés rachados.

A partir desse cenário, “Gonzagão” ou ”Seu Lua”, como era carinhosamente chamado pelos brasileiros, presenteou-nos com canções memoráveis como "Asa Branca", "Assum Preto"," Luar do Sertão", "No Meu Pé Serra" e outras mais, que tão bem representam a força desse nordeste sofredor.
É bem verdade que esse sofrimento do povo do sertão também faz aflorar um grandioso sentimento de religiosidade e fé, elementos que também não poderiam faltar na sua obra.
Por isso, é impossível para um nordestino não se identificar imediatamente com a profundidade dessas canções.

Mas nem tudo que é sertão é tristeza, nem tudo que é tristeza é sertão, visse?

Como num passe de mágica, todo esse cenário se revestiu de alegria, e ganhou o mundo nos acordes da sanfona de Luiz Gonzaga, que com uma sensibilidade extremamente aguçada, conseguiu com maestria captar a alegria e o jeito de ser tão espontâneo do povo sertanejo. Para dar vida às suas canções, contou com vários parceiros como: Humberto Teixeira, Zé  Dantas, Zé Marcolino, entre outros.
Graças a Gonzaga, ritmos tão contagiante como: o forró, o xote, o xaxado e o baião rapidamente tomam conta dos espaços por onde passam. Bastam os primeiros acordes da zabumba, o choro da sanfona e a marcação do triângulo para o “esqueleto” começar a se remexer.  Bom pra dançar, bom pra namorar! Hahahaha
Nosso Rei do Baião soube como ninguém, espalhar essa alegria. E de onde veio essa inspiração?
Dos tradicionais encontros de amigos e familiares pelos povoados e "terreiros" do sertão, os chamados arrasta-pés ou rela-buchos (como queiram!), regados a cachaça, "cerrejinha", boas conversas e inúmeros romances, com direito a muito cheiro no cangoteTá bom que tá danado!

Dentre tantas canções animadas e engraçadas, gostaria de citar duas, que são as minhas prediletas: "Karolina com K" e "ABC do Sertão".
As letras são inteligentes, extremamente bem construídas e divertídíssimas.
Dá só uma olhadinha nesses trechos:

" ... Que mal pregunte, vois mi cê que é Carolina?
Ela escorou na perna esquerda, descansou a direita,
Botou as mão nos quarto e disse:
- Perguntas bem! Karolina com "k"!
- Quer dançar mais eu? ... "
trecho de "Karolina com K" -Luiz Gonzaga/Humberto Teixeira


"Lá no meu sertão pros caboclo lê
Têm que aprender um outro ABC
O jota é ji, o éle é lê
O ésse é si, mas o érre
Tem nome de rê..."
trecho de ABC do Sertão - Luiz Gonzaga/ Zé Dantas


Gonzaga sempre foi um artista do povo, que gostava de se apresentar em lugares abertos, levando alegria a quem não tinha condições financeiras de pagar ingresso para vê-lo e ouví-lo.  Gente boa!
 Imagine como ele deve estar feliz agora, recebendo boas vibrações e toda essa energia boa que está rolando por aí em sua homenagem ...
Quer espalhar mais alegria por aí?  
Experimente ouvir preciosidades como: 

·         “Nem se Despediu de Mim”,
·         “Pagode Russo”,
·         ”Roendo Unha”,
·         “Zé Matuto”,
·         “O Xote das Meninas”,
·         “Vida de Viajante”,
·         “Numa Sala de Reboco”

Viu só? Nem precisei procurar muito e aí está uma seleção de primeiríssima qualidade!

Agora, vamos aumentar essa lista com as contribuições recebidas dos amigos:



  • Apologia ao Jumento - enviada por David
  • Crato- enviada por Pires
  • Casamento Improvisado" - enviada por Pires 
  • A Feira de Caruaru - A Morte do Vaqueiro - A Triste Partida - A Volta Da Asa Branca
  • Acauã -Algodão - Asa Branca - Assum Preto – Baião- Baião da Penha – Boiadeiro
  • Cigarro de Paia - Cintura Fina - Derramaro o Gás- Dezessete Légua e Meia
  • Estrada De Canindé - Forró no Escuro - Hora do Adeus– Juazeiro - Meu Pajeú
  • Nessa Estrada da Vida - No Meu Pé De Serra - Noites Brasileiras - Olha Pro Céu
  • Paraíba - Pau de Arara - Paulo Afonso - Qui Nem Jiló - Regresso do Rei -
  • Respeita Januário - Riacho do Navio - Sabiá - Sanfona Sentida - Serrote Agudo
  • Suplica Cearense - Vem Morena- Vozes da Seca - Não Vendo Nem Troco - Pense Neu - enviadas por Aldo Mariano

Se as suas preferidas não entraram nessa lista,


"num se acanhe não, meu camarada! 

Mande aí as suas sugestões, pra essa festa ficar ainda mais "arretada de bunita"!  


hahahaha
Até breve!



Dica para publicar um comentário:

Algumas pessoas têm me perguntado o que é preciso fazer para escrever e publicar um comentário aqui no blog. Os caminhos mais utilizados são:

  • a) escolher se identificar através do Google (se você tiver cadastro no gmail) e digitar sua mensagem no local indicado,  ou
  • b) escolher a opção "anônimo", e aí, você escreve seu recado normalmente e, no final você escreve seu nome, para que eu saiba quem escreveu (pois  nem sembre minha bola de cristal tá funcionando ...kkkk)

Observe que você vai clicar em enviar/publicar, mas a mensagem não vai ser publicada de imediato. Ela ficará suspensa (numa espécie de fila), aguardando até que eu veja e libere a publicação. Ok?

Se você não quer escrever a mensagem, mas deseja registrar sua opinião sobre o texto, utilize a enquete rápida  CURTI e NÂO CURTI, apenas marcando um X na opção desejada, Fica logo aqui abaixo, ok?

Ah! Só mais uma coisa: no final da publicação você vai ver uns ícones pequenos do Twitter, Facebook, G+, Gmail, etc. Se você gostou do texto e quiser compartilhar  através de um desses canais, é só clicar nesses ícones. Dessa forma, facilmente você vai socializar com seus amigos os conteúdos vistos e apreciados aqui no blog. Não é legal?

10 comentários:

  1. Gonzaga também declamava muito bem!
    Faço questão de registrar a sua "Apologia ao
    Jumento"
    David.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Muito bem lembrado, David! Essa certamente merece lugar de destaque! Obg e grande abraço.

      Excluir
  2. E. R. Pires - Teresina - PI28/11/2012 08:48

    Detinha, realmente é uma justa homenagem a este grande mestre da música para o povo!! Como ele fazia questão de dizer que cantava para o povo!
    Eu aprendir a gostar do Gonzagão influenciado por um compadre meu que se juntou a ele há 3 meses.
    Tenho uma seleção especial que sempre ouço, e as minhas preferidas são as seguntes: "Crato" e "Casamento Improvisado".
    Um Grande Abraço!!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Pires, lembro daquelas comemorações de final de expedient,quando nosso amigo Aldo, pegava o violão e começava a cantoria... Tava pensando nisso quando citei "Carolina com K"! hahahaha Obrigada pela dica das suas preferidas... nossa lista das "MAIS MAIS DO GONZAGÃO" tá crescendo! Beijão, amigo!

      Excluir
  3. Muito justa e excelente homenagem!!!
    Beijos!!!

    ResponderExcluir
  4. Gostei bastante!
    Parabéns,

    ResponderExcluir
  5. Olá amiga. Acho que o Gonzaga fala com muita propriedade das tradições e costumes da nossa terra.
    Eu nasci no sertão e conheci como era o forró no mato, os chamados “pé de serra”, é daquele mesmo jeito que o Gonzaga relata em “Karolina com K”.A discografia dele é fantástica, eu não a tenho toda, mas possuo uma seleção que está a sua disposição, posso passar para um CD e te enviar.
    A Feira de Caruaru - A Morte do Vaqueiro - A Triste Partida - A Volta Da Asa Branca - Acauã - Algodão - Asa Branca - Assum Preto – Baião - Baião da Penha – Boiadeiro - Cigarro de Paia - Cintura Fina - Derramaro o Gás - Dezessete Légua e Meia - Estrada De Canindé - Forró no Escuro - Hora do Adeus – Juazeiro - Luar do Sertão - Meu Pajeú - Nessa Estrada da Vida - No Meu Pé De Serra - Noites Brasileiras - O Xote das Meninas - Olha Pro Céu - Paraíba - Pau de Arara - Paulo Afonso - Qui Nem Jiló - Regresso do Rei - Respeita Januário - Riacho do Navio - Sabiá - Sala de Reboco - Sanfona Sentida - Serrote Agudo - Suplica Cearense - Vem Morena - Vozes da Seca - A Vida do Viajante - Não Vendo Nem Troco - Pense Neu.
    Continue escrevendo.Grande abraço.Aldo M. Batista.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Querido Aldo! Lembrei muito de você ao escrever esse artigo ... "Carolina com K" é a cara daquelas cantorias que você fazia. Muito bom lembrar de tudo isso! Obrigada pela valiosíssima contribuição. Com uma lista dessas, é só alegria! Beijo grande!

      Excluir

O pensamento ganha novos contornos quando compartilhado. Portanto, registre aqui seu comentário. Juntos faremos surgir novas ideias.
Fique tranquilo, que seu comentário será publicado em breve, tão logo seja por mim visualizado.

Obrigada pela visita e volte sempre!