terça-feira, 20 de novembro de 2012

Sonhar é coisa boa!


Oi, gente! Agora que coloquei o pé na estrada, não posso parar...
Hoje gostaria de abordar um tema do qual gosto muito: sonhos.
Ainda há muito a ser desvendado sobre o ato de sonhar.  Para mim, o sonho é a prova mais concreta (se é que a gente pode dizer assim) de que nossos neurônios estão em plena atividade até mesmo quando a gente dorme. Incrível, não? Que danadinhos! Devo dizer que ...
 os meus vivem a mil por hora: uma verdadeira fábrica de sonhos!

Pois bem, às vezes esses amiguinhos, que habitam nosso pensamento, deixam-se sugestionar por algo que a gente viu, leu, ouviu, sentiu, enfim, algo que a gente vivenciou de alguma forma durante o dia ou à noite. Entretanto, nem sempre é assim. Os sonhos podem trilhar os caminhos mais inusitados, loucos e inimagináveis: gente que a gente nunca viu, lugares onde a gente nunca esteve, atividades que não fazem parte da nossa rotina, acontecimentos estranhos, enfim, uma loucura!
Quando a gente acorda, esses sonhos não fazem sentido algum;  parecem ser totalmente “sem pé nem cabeça”, isso quando a gente consegue lembrar de alguma coisa, né? 
Os estudiosos no assunto dizem que nem tudo é tão desconexo quanto parece.
Lembra daquela história do "nada é por acaso"?   Só digo uma coisa: eu já tive um sonho inesquecível, em que eu flutuava por um lugar lindo, com muitas flores e cores! Delírio de bruxa? Será? hahahaha
Tenho uma curiosidade imensa em saber o que significam os sonhos. Existe muita informação sobre esse tema: desde as mais robustas teorias que lotam as bibliotecas e academias pelo mundo afora, até as mais esdrúxulas explicações que surgem informalmente nos cafés da manhã em família, nos corredores das empresas nas primeiras horas do dia, nas rodinhas de amigos, e por aí vai.. Trilhar esse caminho com seriedade não é para qualquer um... haja complexidade, viu! 
Freud foi um mestre que mergulhou fundo na mente humana, a fim de extrair, das profundezas da alma, interessantes explicações para algumas “escapadas” da nossa mente, os chamados atos falhos. Tentando simplificar o que não é nada simples, posso dizer que, segundo Freud, os atos falhos seriam momentos em que as “amarras” da nossa mente estariam mais soltas, mais frouxas, por isso os conteúdos mais profundos viriam à tona e se manifestariam de forma simbólica e aparentemente desconexa. O grande desafio estaria em conectá-los. Do mesmo modo, os sonhos seriam instrumentos de revelação do conteúdo mais profundo da nossa psique. Haja mistério, não?
Devo confessar que tenho verdadeiro fascínio por essas teorias e estudos, até já me aventurei a fazer algumas leituras dessas; entretanto, meu intuito aqui não é esse. Quero apenas comentar sobre que sentimentos ou sensações os sonhos nos provocam, o quanto mexem com nossos pensamentos.
Para muitas pessoas, o sonho pode ser uma espécie de aviso ou exatamente o empurrãozinho que faltava para nos fazer tomar uma decisão importante, mudar de ideia sobre alguma coisa que está nos incomodando. Para outras, pode ser até a sorte grande, o número da loteria, ou sei lá mais o quê! Há quem acredite que o sonho é uma porta de comunicação com o além, com o desconhecido, com  outra dimensão. Particularmente, não descarto essas possibilidades. Cada pessoa tem seus motivos, não é mesmo? 

  • Lembro de um sonho que tive semanas após o falecimento da minha avó., Zefinha. Eu era muito apegada a ela. No dia do falecimento, me aproximei do caixão e fiquei ali parada, fitando o rosto dela por alguns minutos. Não havia ninguém por perto. Senti que naquele momento ocorreu alguma comunicação entre nós. Não sei explicar como, mas aconteceu. Um verdadeiro momento de paz. Semanas depois revivi essa cena em sonho. Até esse momento em que eu me aproximei dela, tudo no sonho foi igual ao que eu vivi;  mas, a partir dali, surgiu um novo desfecho: naquele momento em que eu fixei o olhar no rosto dela, ela abriu os olhos e falou comigo. Disse que não queria ficar ali, que queria ficar numa caixinha de cristal. Eu disse pra ela não se preocupar que eu iria fazer tudo para que ela ficasse bem e feliz. Então saí correndo e fui ao encontro do meu irmão e pedi para ele providenciar a tal caixinha de cristal para a nossa avó. Então, imediatamente ele se dirigiu ao quintal de casa, começou a cavar um buraco ali no chão. Em seguida pegou um lençol branco, estendeu-o  sobre o barro, que era bem avermelhado, e  foi buscar a nossa avó, que o aguardava na sala da casa da minha mãe. Tomou-a em seus braços e levou-a até o buraco coberto com aquele lençol. Ao colocá-la ali, ela agradeceu e retribuiu o gesto com um enorme sorriso, dizendo que agora ela estava feliz, pois estava na caixinha de cristal.
Naquela ocasião, confesso que fiquei um pouco assustada, querendo entender o porquê desse sonho, estava tudo tão recente e tão confuso na minha cabeça. Cheguei a conversar com um amigo sobre isso, e depois de longas horas de questionamentos e reflexões, ele me convenceu de que aquele sonho teria sido uma forma de comunicação entre eu e minha avó; que ela precisava me dizer que estava bem, e  que, de alguma forma eu tinha contribuído para ela estar feliz.
Escolhi acreditar!
Tudo isso aconteceu há  mais de 20 anos, e depois desse dia, numa mais voltei a sonhar com ela, mas sinto como se ela estivesse sempre comigo, me acompanhando, me conduzindo.
Incrível como, depois de todo esse tempo, ainda lembro de tudo com muita clareza... parece até que vivi isso ontem.
Naquele momento de reflexão, aprendi a conviver com a ausência da minha avó, tornando-a tão ou mais presente do que ela sempre fora em minha vida.  
Te amo vó!
Sinto-me feliz por relembrar e compartilhar aqui essa vivência.
Você deve estar se perguntando: e quanto aos sonhos que sonhamos acordados?
Ah! Esses também são maravilhosos e nos impulsionam para a vida!
Certamente serão abordados aqui no blog, em outra ocasião, pois são verdadeiros feitiços do bem.
Você não perde por esperar!

Dica para publicar um comentário:

Algumas pessoas têm me perguntado o que é preciso fazer para escrever e publicar um comentário aqui no blog. Os caminhos mais utilizados são:

  • a) escolher se identificar através do Google (se você tiver cadastro no gmail) e digitar sua mensagem no local indicado,  ou
  • b) escolher a opção "anônimo", e aí, você escreve seu recado normalmente e, no final você escreve seu nome, para que eu saiba quem escreveu (pois  nem sembre minha bola de cristal tá funcionando ...kkkk)

Observe que você vai clicar em enviar/publicar, mas a mensagem não vai ser publicada de imediato. Ela ficará suspensa (numa espécie de fila), aguardando até que eu veja e libere a publicação. Ok?

Se você não quer escrever a mensagem, mas deseja registrar sua opinião sobre o texto, utilize a enquete rápida  CURTI e NÂO CURTI, apenas marcando um X na opção desejada, Fica logo aqui abaixo, ok?

Ah! Só mais uma coisa: no final da publicação você vai ver uns ícones pequenos do Twitter, Facebook, G+, Gmail, etc. Se você gostou do texto e quiser compartilhar  através de um desses canais, é só clicar nesses ícones. Dessa forma, facilmente você vai socializar com seus amigos os conteúdos vistos e apreciados aqui no blog. Não é legal?

6 comentários:

  1. Leonardo Pires - Piaui23/11/2012 14:24

    Otimo texto, muito reflexivo. Também gosto muito de sonhos e ja tive alguns nesse contexto que vc citou. Vida longa ao Blog. Parabéns pela iniciativa.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Leonardo, ainda vamos conversar muito sobre sonhos, material não vai faltar! hahaha Obrigada pelo incentivo e vamos em frente! Vida longa para todos nós! Abraços

      Excluir
  2. E. R. Pires - Teresina - PI23/11/2012 15:41

    Detinha! Parabéns pela sua iniciativa. Adorei seus artigos. Também tenho um fascínio por sonhos e tive o prazer de conviver no mundo corporativo com a bruxinha do bem. Já mandei o link do blog para meus amigos. Sucesso!!!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Pires, querido amigo! É verdade! Você conheceu a bruxinha desde os primeiros caldeirões! E já naquela época tinha gente se "pelando" de medo das bruxarias! kkkkk Obrigada por compartilhar com seus amigos. Um beijão

      Excluir
  3. Querida Ildete, adorei seu blog. Esse tema "Sonho" é muito interessante e reflexivo. É através dos sonhos que temos contato com amigos, parentes, mestres, pessoas não muito queridas, fazemos algo que temos vontade de fazer, conhecemos lugares ...
    Já tive um sonho parecido com o seu, com pessoas queridas que estão em outra dimensão. Na visão espírita, é no momento do sono que o nosso espírito se desprende do corpo físico, permanecendo ligado por um cordão fluídico e assume suas capacidades espirituias. Bem, eu acredito nessa visão espírita. Não tento interpretar os sonhos, apenas tento tirar ao máximo o aprendizado deles ou matar a saudade das pessoas que significam muito para mim. Um grande beijo. Anna Daniella

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Dani, realmente os sonhos são fontes inesgotáveis... infinitas possibilidades, não é mesmo? Obrigada por compartilhar também a sua opinião sobre o tema. Valeu! bjs

      Excluir

O pensamento ganha novos contornos quando compartilhado. Portanto, registre aqui seu comentário. Juntos faremos surgir novas ideias.
Fique tranquilo, que seu comentário será publicado em breve, tão logo seja por mim visualizado.

Obrigada pela visita e volte sempre!